➸ Mulher Vermelha ♥

Cada vez que escrevo um bom poema é mais uma moleta que me faz seguir em frente.

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Amor é,

Amor é construir, é brigar pra fazer as pazes, compreender, chorar pelas decepções do caminho, mas mais ainda pela alegria das pequenas conquistas. Amar é acordar e ter a certeza de que a pessoa que está ao seu lado te transcende, é dormir e ter a certeza de que ali está o seu abrigo. O amor não é feito só de felicidades. Construir uma história, compartilhar duas vidas totalmente diferentes e caminhos tão opostos gera dor, gera conflito, gera mudanças que transformam o coração de cada um. Estas pequenas dores, pequenas decepções, pequenas vontades de largar tudo e sair correndo, só fortalecem ainda mais a certeza de um sentimento que é verdadeiro, que é feliz, mas que é real e tem suas dificuldades. Amar é saber que o coração do outro também sente, e cuidar dele, como se fosse o seu. 

"O teu coração é mais importante que o meu", te amo.

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Gratidão

Querido,

Olha, quando você realmente se foi, quando a coisa acabou e vi nosso amor desacontecer, eu quase sofri. E digo quase porque sempre soube que nossa história estava fadada ao fracasso. Não porque isso era óbvio para todos que tinham olhos de ver e ouvidos de ouvir, não só por isso, ou pela infinita diferença que nos separa tão clara, tão grande. Eu digo quase sofri porque o tempo todo ao seu lado eu morria um pouco, e ressurgia outra do lado de cá. Mas eu falo no quase, não por ter sido um quase amor, porque não foi, foi amor dos bons, quente e lindo como eu esperava, eu digo quase sofri porque sabia que não era pra ser um tanto mais, porque um tanto mais me aguardava. 

Você entende? Alguma coisa aqui dentro sabia que não era possível, porque logo depois viria algo melhor, algo maior, algo mais doce, mais fundo, mais intenso, mais verdadeiro. Algo de inconfessável, algo de inacreditável. Então eu quase sofri você entende? De forma egoísta te considerei uma espécie de preparação, uma espécie de adubo pra ver algo belo crescer, que não era você. Não, não estou te chamando de merda, mas também poderia, então te chamo de base, a primeira demão dessa parede bacana que tenho pintado.

Mas você foi absolutamente necessário, entende? Eu sei que pareço egoísta, mas não sou. Ou sou se você quiser, porque agora, realmente já não importa. Porque sabe, em nenhum momento eu acreditei nas suas mentiras. Mentira, em algumas eu acreditei, mas por momentos tão breves, bom, você sabe, você mente mal, mas você mente tanto que cria, praticamente uma realidade paralela e causa aquela estranha impressão de que alguém é louco na história. Tem tom de esquizofrenia, de fantasia, de alegoria. Mas no fim das contas a coisa mesma não passa de sacanagem. Daquelas boas e velhas. E eu? Sim eu sempre soube, mas foi uma situação absolutamente necessária para mim. Assim, simples e rasa, mas essencial e reveladora.

Não, porque nem todas as situações transformadoras são resultado de revelações luminosas e profundas, às vezes um pilantra e um belo pé na bunda podem fazer milagres para uma mulher inteligente. E você teve essa função. O tempo todo eu sabia que nada daquilo seria e que depois de você algo muito bom aconteceria.

Essa mania que inventei de confiar no que não vejo, mas sinto que o vento traz. E eu sabia que entre nós dois a coisa sempre foi uma espécie de preparação. E hoje eu só posso agradecer, não sei bem a quem, ao que, enfim, mas o que veio depois de você é tão, tão...? 

Difícil dizer, daquele tipo de coisa que não encontramos palavra exata. Alguma coisa entre o mistério e o sublime, entre o muito e o simples entre tantas coisas que você não entenderia. Foi por isso que quase sofri, porque desde sempre percebi que, fundamentalmente, o que nos separava e sempre foi abismo entre nós é uma questão de força e coragem. A mediocridade sempre fez com que você nunca partisse, mas também nunca viesse. Sua casa foi construída sobre um muro. Mas agora preciso te dizer adeus e te agradecer por ter sido tão miserável, só assim estou tendo hoje o que tenho. Você me preparou para esse novo amor. Mágico.

Obrigada.


by: Andréa Beheregaray.

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Amor,

"Antes mesmo de nascer, Deus sabe quem vai te fazer feliz pra sempre."

CFA

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Ele,

Ele pode pensar em você. Todos os dias. E ainda sim, preferir o silêncio.

Cfa.

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Floriu

Coragem, às vezes, é desapego. É parar de se esticar, em vão, para trazer a linha de volta. 
É aceitar doer inteiro até florir.

CFA

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Assustadoramente feliz

Talvez eu não esteja errada, não seja inconsequente, nem perturbadoramente desapegada. Eu simplesmente respondo meus sentimentos a medida que eles aparecem. O tempo me ensinou a usar os sentimentos sem esquecer de usar o cérebro, mas ainda assim, prevalecendo o que me faz feliz. Ele não quis voltar porque eu era ruim, eu fui embora tantas vezes porque ele era ruim. Mas afinal, o que é ser ruim? Hoje, diante de tantos relacionamentos baseados no dinheiro, no "agora temos um filho pra criar", "mas estamos há tanto tempo junto", "não da pra separar agora", vi que a coisa mais certa que fiz foi aceitar tudo que eu já senti. Tive 3 amores, três namoros pra viver a vida inteira juntos, apesar dos contratempos, e parece que finalmente esse final feliz - em continuidade - chegou. Mas vocês namoram há tão pouco tempo, mal se conhecem, não precisa casar agora, casar é difícil. Amigos, difícil é você conviver com alguém que você não ama mesmo estando juntos há muito tempo, difícil é se submeter à uma vida inteira juntos sem as mesmas perspectivas, sonhos e desejos, permanecer num relacionamento por causa dos filhos, da família ou do comodismo. Eu não to vivendo nada difícil, aliás, se o fosse, eu nem estaria vivendo. Lutei pra ter o amor leve, fácil, gentil, e ele chegou, esperar mais tempo pra passar o resto da minha vida com ele, é tolice.

r.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Amor,

Amor não se acha, se constrói.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Solidão feliz

Há menos de um ano eu tinha que ir contra a minha opinião e aceitar o cuidado de um terceiro. Eu tive que me cuidar, que me tratar e acima de qualquer coisa, aceitar e conviver comigo mesma sem ferir aos outros. As consultas acabaram, o remédio parou, ele não está mais na minha vida. Mas isso não significa que passou pra sempre. Ser ansioso e ter o início da depressão é aprender a conviver com dias de alegria imensa, e de tristeza absoluta. Sou grata aos caminhos que a vida me levou, e as mudanças que Deus caridosamente fez no meu ciclo social, mas às vezes da vontade de me enfiar num quarto escuro e chorar. Às vezes eu sinto saudade dele, mesmo sabendo que isso foi melhor. Às vezes eu acho que sou uma fracassado intelectualmente e profissionalmente. Às vezes eu não quero ouvir falar da minha família. Mas então eu me faço um favor, e me dou um tempo. Deixo de pensar, durmo, tomo um porre, relaxo e tudo volta ao normal. Aprendi o sentido de descansar ao invés de desistir,  aprendi a fortalecer os meus laços e a impor minha ausência. Família, noivo, amigos, faculdade, trabalho, subgrupos, cachorros, sobrinhos, academia, às vezes todos eles têm que saber que você está off line, desligada, e que o seu tempo é seu, não deles. 

R.



Essas palavras que eu escrevo, me protegem da completa loucura.