➸ Mulher Vermelha ♥

Cada vez que escrevo um bom poema é mais uma moleta que me faz seguir em frente.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Orgulho vs. Amor

— Quem não procura, não sente falta, moço.
— Engano seu, pequena. A nostalgia tortura e todo dia o coração implora pedindo pra voltar.
— Porque não volta, então?
— A saudade é grande, mas o orgulho é ainda maior, menina.

Caio Fernando Abreu

terça-feira, 20 de junho de 2017

O amor é aquilo que ele faz

Tudo que você me disse, de bom e ruim, eu superei. É muito fácil falar e não mostrar atitudes, é muito conveniente aceitar desculpas e nada mudar. Eu sempre voltei porque via na gente a coisa de pele, o sangue fervendo, coração batendo rápido só de ouvir teu nome, ganhar um oi, lembrar teu cheiro. Nosso último encontro foi um misto, de palavras que não faziam sentido, de uma conversa que não tinha porque existir, apenas a vontade de estar ali, estar com você, apagar tudo isso e voltar, voltar. Eu gosto de você 11/10, eu perdoo, eu acredito. Mas você ouviu seu coração acelerar, sentiu sua boca querer a minha, e mesmo assim decidiu partir, decidiu ser de outra pessoa. Eu não podia mais ficar, eu não podia mais aguentar aquilo, eu mudei meus caminhos, minhas escolhas, eu deixei pessoas irem embora, porque eu pertencia a você. E você? Insistentemente preferiu não ser mais comigo, apesar de insistir em saber de mim sem você. Eu não acredito mais no que você diz, tanta coisa mudou nesse tempo. Duvido muito, também, que você acredite em mim, a Renata que você conheceu não chega aos pés dessa. Eu tentei te mostrar, te conquistar, te fazer ver o quão lindo seria o caminho. Você me mostrou dor, orgulho, amargura, um ser humano desprezível dentro de quem eu mais amei. Minha saudade dói todo dia, minha vontade bate, meu corpo molha e meu sorriso apaga. Mas quando eu lembro de como fomos capazes de nos machucar, entendo porque estamos separados. Vai demorar pra eu desistir de te amar, pro meu coração aceitar que você desistiu de me amar. Mas o que a gente viveu foi a coisa mais bonita que eu vivi, e eu vou guardar pra sempre essa marca, não é algo que se apaga fácil. Não vai ser um amor qualquer que vai substituir você, não é um corpo qualquer que vai tomar seu posto, não vai ser qualquer ser humano que será conhecido por estar ao meu lado, como você foi. Fomos intensos, do começo ao fim, e mesmo depois do fim, essa intensidade marca. Palavras já não dizem nada, são escolhidas, dissimuladas. Acredito nas atitudes, no teu coração acelerado, na minha reação ao sentir teu cheiro, em você aqui, lendo isso. Eu te amo, eu vou te amar pra sempre, mas o amor é aquilo que você faz.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

falta você em mim, faltava

Tem dia que a falta bate mais forte, que a saudade dói mais e que a lembrança não me deixa. Um nome, uma foto, um cheiro. O Enrico estava com seu perfume, eu desfiz nossos álbuns, mandei embora suas roupas, dei tchau pra você em silêncio. Foi um ritual sofrido, mas que precisava ser vivido agora, e não depois. Minhas esperanças em você não existem mais, e não quero mais deixar partir bons corações por ainda amar o seu. Eu te amo, preto, mas que pena que amor não é tudo.

Rê,

sexta-feira, 16 de junho de 2017

te amo, pra sempre

“Amores eternos existem e não há caretice alguma nisso. Mas só há duas maneiras de torná-los eternos: ou a gente os rotula como tal e se acomoda, ou a gente analisa, discute, amadurece, chora, pensa, repensa, ama, odeia, enfrenta, tenta, tenta e tenta de novo. É cansativo. Exige construção e demolição de fantasias, encontros e desencontros. São esses os amores que ficam pra sempre: aqueles que dão tanto trabalho que a gente mal consegue perceber sua eternidade.”

Martha Medeiros

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Insensata rima melhor do que ingrata, não?

Você me permite ir, você me permite escolher, você é democrática, sensata, elegante, madura, equilibrada, não procura forçar sua opinião, impor sua vontade, você oferece espaço, aguarda, pede que eu reconheça seu valor, sai de perto para não pressionar, chora e sofre distante, recrimina o ciúme e me exclui.

Desculpa. Mas amor não é justiça, amor não é julgamento, amor não é consciência, amor não é controle.

Amor é um filho da p. da insistência, é manter-se perto, próximo, junto, grudado, até que o entendimento da vida estale.

Não é se afastar, não é facilitar o trabalho dos outros se afastando. Não é exigir que venha agora ou nada, que venha inteiro ou nada. Diante do extremismo, sempre ficaremos com nada.

Partilho da crença de que o provisório é tudo.

Pode vir pela metade, fragmentada, dividida, um terço de si, uma parcela, que eu aceito e completo. Eu lhe quero do jeito que der, do jeito que for.

Pode vir confusa, em crise, indecisa, ambígua, que logo unifico seus receios.

Não confio na saudade, confio na presença. A saudade só adoça o arrependimento.

Eu não saúdo a saudade. Eu dou a porta de saída para a saudade.

É com a convivência que vou mostrar que sou o melhor para seu temperamento, que sou também o pior, que sou o que espera, e sou também o que não espera, que sou sua alegria e também sua desordenada raiva, que sou seu encantamento e também sua decepção, que sou o centro de seus dias e também as margens de suas noites.

Não serei educado para deixá-la em paz. Nunca. Amor quando dói é mal-educado. Falarei excessivamente, farei sinais e gestos passionais, tremerei mais do que copo de morto - terá o que se lembrar de mim.

Não finja que deseja meu bem. Não há bem com a distância. Deseje meu mal, mas deseje que eu seja seu.

Aquele que é o nosso maior erro costuma ser o grande amor de nossa vida.

Fabrício Carpinejar

segunda-feira, 12 de junho de 2017

A parte que sobrar,

E a parte de você que sobrar vai me acompanhar
Eu vou deixando um pouco em cada mesa que eu sentar
Cada dose que eu tomar, cada boca que eu beijar
Pode demorar, mas ainda deixo de te amar

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Like a dream

Sonhei com ele todos os dias na última semana, queria saber o porquê. Minha cabeça já aceitou que ele se foi, meu corpo já encontrou outro abrigo, mas meu coração ainda sonha com ele. Tem sido manhãs difíceis, escolhas difíceis. Eu não escolhi te amar, e talvez por isso seja tão difícil tirar você de dentro de mim. A saudade virou vazio, e o vazio está cada vez mais preenchido pela sua falta.

Rê,

terça-feira, 6 de junho de 2017

Se permita ser feliz

Sonhei com você. Nós dois no sofá aqui de casa - que foi palco de uns orgasmos bem memoráveis -, você com sua boca mole, eu com minha vontade de sempre. Parecia haver esperança, parecia que você voltaria, que largaria tudo, que daria vazão ao que de fato, sentimos. Parecia, como pareceu todas as vezes em que você voltou, em que quis conversar, todas as vezes que pediu desculpa por suas palavras grosseiras. Esse rancor todo te machuca, me machuca, nos impede. Essa história ainda existe em nós, senão você não estaria aqui. Mas você resiste, enquanto eu já desisti de te convencer do quanto a vida pode ser bela, do quanto a minha cama é quente, e de como a gente ainda faz o melhor amor de todos. O tempo tá passando, nossos caminhos cada vez mais distantes, nossas escolhas cada vez mais díspares. Mas eu ainda te amo, mesmo não devendo depois de tudo que você falou, de todas as mentiras e manipulações, mesmo depois de participar da sua traição e de acreditar, tolamente, que algo se resolveria assim. Amor, as coisas só dão certo quando você quer isso, o amor só da certo quando é sustentado por dois seres que lutam pelo mesmo ideal. Eu sinto saudade do nosso corpo junto, e das vezes em que tínhamos objetivos que nos mantinham perto, nosso potencial tá implícito em nosso ser, mas eu não tenho saudade do ser rancoroso, frio e desmedido que você se tornou. Eu te amo, mas nem eu, muito menos você, merecemos isso. Saudades meu menino, te amo. 

Rê,



Essas palavras que eu escrevo, me protegem da completa loucura.